Menu
Faça já o seu pedido > >

Principais cuidados a ter com um cão com Leishmaniose

A Leishmaniose canina é uma das doenças mais comuns entre cachorros. Apesar de comum, trata-se de uma condição séria que precisa de cuidados.

Apesar de ser uma doença que apresenta sinais leves no início, começa a agravar-se com o tempo. Podendo levar à morte do cachorro.

Entretanto, muitas pessoas ainda desconhecem e ignoram a importância da prevenção.

Tem um cãozinho com esta doença e não sabe como tratá-la? Não se preocupe! Elaboramos para si um guia completo com tudo o que precisa de saber sobre esta condição.

Não deixe de acompanhar! O seu animal de estimação merece os melhores cuidados possíveis.

Leishmaniose: Que doença é esta que afeta os cães?

Esta doença é causada por um protozoário do grupo Leishmania.

Uma vez no organismo do hospedeiro, o agente etiológico da doença começa a multiplicar-se e a atacar as células fagocitárias do animal, conhecidas como macrófagos.

Estas células que fazem parte do sistema imunitário ajudam a proteger o organismo contra a invasão de agentes estranhos.

Portanto, se não for tratada no início, a doença tende a evoluir, afetando órgãos importantes como a medula óssea e o fígado.

Sendo assim, deve saber que existem dois tipos de Leishmaniose que afetam os cães. Uma delas é a forma cutânea da doença e a outra a visceral.

No entanto, quando nos referimos aos cães, o tipo de manifestação mais comum da doença dá-se na forma visceral.

Isto porque os cães não são os hospedeiros ideais na manifestação cutânea da doença. Esta doença também é conhecida popularmente como calazar.

Muitos acreditam que a transmissão dá-se através da saliva ou mordida de mosquitos. Porém, isso está incorreto.

Na verdade, o animal é exposto à doença através da picada do mosquito-palha, que possui o nome científico de Lutzomyia longipalpis.

Saiba a melhor forma de tratar o seu animal quando diagnosticado com a doença

O diagnóstico de Leishmaniose, até há pouco tempo atrás, era a pior notícia que um tutor poderia receber.

Isto acontecia porque uma vez que não há cura para a doença, haveria a necessidade de sacrificar o animal.

Felizmente, com a evolução da ciência, surgiram algumas ferramentas muito importantes para o seu combate.

Atualmente é possível encontrar uma vacina e um tipo de medicamento que pode ser ministrado por via oral. Este reforça o sistema imunitário do cão e atua diretamente contra os parasitas.

Contudo, a melhor medida é a prevenção.

O uso de repelentes contra este tipo de inseto é muito importante e eficaz. Convém evitar passeios com o seu cachorro em períodos de maior atividade e em localizações propensas ao seu aparecimento – lagos e lagoas paradas, zonas com microclima...

Outra dica importante é realizar exames regulares de controlo ao patudo, de modo a assegurar que está tudo sob controlo com a sua saúde.

Agora que sabe tudo sobre a Leishmaniose é altura de redobrar os cuidados com o seu cão. A prevenção e o acompanhamento são indispensáveis.

Contraste
Fontes legíveis
Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.